TÁ VOANDO: Brasil derruba Montenegro e vai 100% para 2ª fase da Copa do Mundo de basquete

 Fotos: Divulgação / FIBA
Nova Zelândia? Grécia? Montenegro? Que nada! Ninguém parou o Brasil na primeira fase da Copa do Mundo de basquete. Se entrou desacreditada no torneio, a seleção brasileira surpreendeu o mundo, derrotou nesta quinta-feira Montenegro por 84 a 73 e fechou a fase preliminar do torneio com 100% de aproveitamento, avançando para a segunda fase sem ressalvas e com a moral lá em cima para buscar uma vaga nas quartas de final da competição e até mesmo uma das duas vagas olímpicas do continente para Tóquio 2020. A última vez que o Brasil terminou a primeira fase de uma Copa do Mundo com 100% foi em Indianápolis, 2002, quando venceu Porto Rico, Turquia e Líbano.
Diante de montenegrinos eliminados, mas sem se entregar, o Brasil em momento algum baixou a guarda. Nos 40 minutos de jogo, poucas vezes ficou atrás do placar. E ainda teve a possibilidade de descansar atletas importantes para o restante da competição, como Alex e Varejão. Sofreu nos minutos finais, vendo uma vantagem de 15 pontos cair para apenas um, mas triunfou.
Nesta quinta-feira, Huertas foi muito bem, “entrando” na Copa do Mundo após duas atuações abaixo do seu habitual. Anotou 16 pontos, com seis assistências. Felício também ganhou moral, com 14 pontos e sete rebotes, assim como Benite, que anotou nove pontos. Marquinhos fez 13 pontos. No time de Montenegro, Needham foi o cestinha com 16 pontos. Dubljevic fez dez, assim como Popovic.
Agora, na próxima fase, o Brasil formará o Grupo K, que já tem também os Estados Unidos, e ganhará outros dois integrantes: República Tcheca e Grécia ou Nova Zelândia. Todos os times carregam as campanhas da primeira fase, por isso a importância da vitória e de chegar 100%. O Brasil pega os tchecos (que venceram a Turquia) no sábado, em Shenzhen, e depois os Estados Unidos na segunda-feira. Se a seleção vencer esse primeiro jogo e os americanos triunfarem sobre Nova Zelândia ou Grécia, o Brasil está classificado para as quartas de final, como fez na Espanha em 2014.
Seleção entra com quinteto diferente
Petrovic foi inteligente. Poupou jogadores com minutagem alta nas duas primeiras partidas e deu tempo para Didi, Benite, Huertas e Felício. A mexida no quinteto inicial também veio para buscar dar confiança para caras importantes como Benite e Huertas, que ainda não tinham entrado bem até aqui na Copa do Mundo. Nos primeiros cinco minutos, justamente Huertas foi o desafogo no ataque, com sete pontos para colocar o Brasil com 12 a 9. Needham incomodava com sua velocidade e encontrava espaços para arremessos e infiltrações. Ao lado dele, Bjelica também chegou aos sete pontos, e Montenegro abriu 20 a 16. Na última bola do quarto, Alex Garcia matou para três e diminuiu: 20 a 19.
A seleção voltou para o segundo quarto com um quinteto que vem funcionando na Copa do Mundo. Leandrinho e Alex foram mantidos, e Varejão, Rafa Luz e Marquinhos entraram nos minutos iniciais. A estrela rival, Nikola Vucevic, do Orlando Magic, também saiu do banco para duelo particular com Varejão. Nos primeiros quatro minutos, o Brasil seguia com dificuldade no ataque e partia mais para a individualidade do que o jogo coletivo de até então. Mesmo assim, vencia por 26 a 25. Mantendo o nível absurdo de atuações na Copa do Mundo, Alex atingiu os sete pontos e assumiu como cestinha do Brasil em bandeja para levar o placar a 35 a 33. Marquinhos veio com um chute de três pontos. Leandrinho, na última bola do primeiro tempo, ajudou o Brasil a ampliar para cinco: 43 a 38.
No começo do terceiro quarto, o Brasil abriu a caixa de ferramenta. Assim como fez nos dois primeiros jogos, usou os primeiros minutos para abrir boa margem, colocando 54 a 41, no que já vem sendo chamado de “terceiro período matador” aqui na China. Huertas, bastante acionado e em lindo lance, chegou aos 11 pontos e quatro assistências. Em seguida, Felício foi para a cravada, mantendo a seleção com 13 de frente, sua maior vantagem, faltando três minutos: 59 a 46. Em assistência de Huertas para Felício, o Brasil fechou o quarto com frente de 66 a 54, entrando nos dez minutos finais com uma larga vantagem.
No derradeiro período, a seleção conseguiu controlar os montenegrinos nos dois primeiros minutos, chegou a colocar 15 pontos, com 73 a 58. Mas, com oito pontos seguidos, em duas bolas de três, Montenegro trouxe para 73 a 66, e Petrovic parou o jogo, trazendo Rafael Luz e Marquinhos de volta, além de Varejão, Benite e Leandrinho. Com quase quatro minutos sem marcar, a seleção recolocou Montenegro no jogo, com a diferença caindo para uma posse, em 73 a 72. Foi quando Leandrinho marcou os primeiros pontos do Brasil após o apagão, e a defesa funcionou para que a posse de bola ficasse com o time amarelo faltando 3min11s. Daí em diante, a seleção voltou a comandar as ações, colocou a cabeça no lugar e abriu de novo para vencer por 84 a 73.
Globo Esporte

Share this

Related Posts

Compartilhe esta postagem