Ministério Público processa prefeito de Macau por improbidade

O Ministério Público do Rio Grande do Norte ingressou com uma ação de improbidade administrativa contra o prefeito de Macau, Túlio Lemos, além de outras duas pessoas, incluindo a mulher dele, Andréa Lemos.
Segundo a investigação, que corre em segredo de Justiça, o prefeito de Macau empossou Ivoneide de Santana Costa como cargo comissionado sem que ela tivesse capacidade técnica para atuar como diretora da Secretaria Municipal de Planejamento e, posteriormente, como assessora especial da Secretaria de Infraestrutura. A funcionária, que tem o ensino fundamental incompleto, ficou nos cargos entre 30 de janeiro de 2017 e 20 de setembro de 2017.
A publicação do MPRN sobre a ação de improbidade administrativa aponta que o cargo na prefeitura foi obtido com o pedido da mulher do prefeito Túlio Lemos. Além disso, antes das eleições, Ivoneide de Santana relatou ter feito compras de remédios, por ordem da futura primeira-dama, para que fossem entregues aos eleitores.
Além de pedir a condenação dos envolvidos por improbidade administrativa, o Ministério Público também pediu a indisponibilidade de bens do trio, em R$ 14.437,21 mil, com vistas a garantir a integral reparação do prejuízo sofrido pelo município de Macau. O valor corresponde aos vencimentos totais da servidora Ivoneide de Santana ao longo do período em que ocupou os cargos de direção e de assessoramento especial.

Share this

Related Posts

Compartilhe esta postagem