Natal chancela Carlos Eduardo, mas rejeita Garibaldi e Agripino, que despencam em votação


O resultado que saiu das urnas nesse domingo em Natal mostra um cenário a se compreender ainda.
Na disputa pelo Governo do Estado, Carlos Eduardo Alves obteve expressiva votação na cidade que governou, com 47,65% dos votos válidos, contra 29,05% de Fátima Bezerra. Brenno Queiroga teve 9,28 contra 8,24% do governador Robinson Faria.
Esse vigor, contudo, ele não conseguiu traduzir em apoio para dois de seus principais aliados, José Agripino Maia e Garibaldi Alves Filho.
Os números de Natal para deputado federal, trazem a liderança de Natália Bonavides (43.714 votos), General Girão (36.290), Benes Leocádio (30,074), Carla Dickson (27.250) e Fernando Mineiro (26.865).
Ex-governador, ex-prefeito de Natal e atual senador da República, José Agripino teve na capital do Rio Grande do Norte 201 mil votos em 2010 quando disputava um cargo no Senado. Ontem, alcançou uma votação surpreendentemente negativa: foram 7.467 votos, o décimo na lista de votados da capital para deputado federal
Os sintomas de que na cidade pulsam a rejeição aos nomes oligárquicos também foram sentidos na votação de Walter Alves, com 7.286 votos. Walter se elegeu pela votação que conseguiu alcançar no interior do Estado.
A consolidação desse cenário se dá na eleição para senado. Em 2010, Natal deu 216.765 votos para Garibaldi Filho, que teve mais de um milhão de votos estadualmente. Na eleição de ontem, Garibaldi foi o quarto mais votado com 62.611 votos, passando longe dos 253.852 votos do capitão Styvenson e dos 110.848 votos da Dr. Zenaide Maia.
Em terceiro lugar, ficou Geraldo Melo, com 79.767 votos.

Share this

Related Posts

Compartilhe esta postagem