Caicó tem a primeira transexual com nome social. Documento saiu nessa segunda feira

Todo cidadão tem direito de escolher a forma como deseja ser chamado. Partindo deste princípio, anotação dada por unanimidade no STF, as pessoas trans podem alterar o nome e o sexo no registro civil sem que se submetam à cirurgia
Com o resultado, a pessoa interessada na troca poderá se dirigir diretamente a um cartório para solicitar a mudança e não precisará comprovar sua identidade psicossocial, que deverá ser atestada por autodeclaração de quem manifesta o transexualismo.
Em Caicó, o primeiro registro foi concedido hoje. A transexual Ingrid Lorrany Teixeira de Morais, 19 anos, conversou com o blog Jair Sampaio e falou da felicidade de ter o nome que sempre sonhou em todos os documentos pessoais, incluindo o registro de nascimento.
"Nasci com a alma de mulher preza ao corpo de homem, então, perante o tempo decidi lutar para vencer isso e me identificar pela minha alma, e não pelo meu sexo, aliás, pelo que me sinto bem em ser chamada", disse Ingrid Lorrany.

Para os seus seguidores nas redes sociais, Ingrid disse o seguinte:
"SONHO REALIZADO: 
Queria hoje passar para agradecer o 2• cartório de registro civis de Caicó, pelo encaminhamento do meu processo encaminhado ao ministério público, no qual alteração de meu nome é sexo no meu registro e em todos os meus documentos com o meu nome é gênero no qual mim identifico. Eu fui a primeira transexual de Caicó a obter essa luta na justiça e a vencer e realizar esse sonho. Eu hoje mim chamo :INGRID LORRANY TEIXEIRA DE MORAIS, com muitas lutas e batalhas mais com a certeza que realizei perante a mim e a justiça brasileira mim identificar pelo que na verdade mim sinto. OBG ao promotor de justiça Geraldo Rufino por ter concedido o meu requerimento."
AGRADECIDA 
Que venha as demais lutarem para conquistarem e que siva de exemplo. 
Agradeço pelo imenso apoio de rebeka de França obg.


Share this

Related Posts

Compartilhe esta postagem