Gol quer banir, para sempre, acusado de ejacular em passageira durante voo



A companhia aérea Gol informou, nesta sexta-feira (8), que estuda formas de “banir definitivamente”, de todos os voos da empresa, o homem de 51 anos suspeito de se masturbar e ejacular na passageira ao lado. O caso foi registrado no início da manhã, em uma aeronave que saiu de Belém rumo a Brasília.
O caso é investigado como contravenção de importunação ofensiva ao pudor. À Polícia Civil, ele negou o abuso, e disse que cuspiu durante uma crise de tosse, e acabou atingindo a passageira.
O passageiro foi escoltado por comissários durante o voo, para evitar agressões, e detido no Aeroporto Internacional Juscelino Kubitschek, em Brasília. Ao perceber que estava com a roupa manchada, a mulher pediu socorro e foi colocada em um outro assento da aeronave.
A mulher, que tem 32 anos, contou que ambos estavam sentados na fileira 24. Ela teria pego no sono assim que o avião decolou. Meia-hora depois, acordou com o suspeito puxando a mão dela.
“Ainda sem saber o que estava acontecendo, viu a sua mão suja, com cheiro característico da ejaculação. De imediato, se instalou a confusão no interior do avião”, disse a Polícia Civil.

G1


Share this

Related Posts

Compartilhe esta postagem