Estrutura que torna mais fácil o processo de adoção já está em operação no Brasil

Estrutura que torna mais fácil o processo de adoção já está em operação no Brasil
Reportagem em vídeo aqui

Já está em funcionamento o Cadastro Nacional de Adoção. O sistema tornou o processo mais fácil e mais rápido. Na Casa de Acolhimento, uma menina de 13 anos sonha com uma família. “Queria ter pai, mãe e irmãos”.
E no curso preparatório para pretendentes à adoção, vários casais estão gestando um filho no coração.
“A gente está com a fé que a gente vai conseguir. Pode demorar um pouco, mas um dia vai acontecer”, disse o pintor industrial Anísio Carlos dos Santos.
Unir as crianças e os interessados é um desafio para a Justiça. Hoje, são menos de cinco mil crianças aptas à adoção e mais de 42 mil famílias interessadas em adotar.
Essa era uma situação comum em muitos estados e municípios. Por muitos anos, fichários e livros manuscritos foram o único recurso de servidores e juízes para organizar as informações dos processos de adoção. O trabalho manual ficava mais demorado e sujeito a falhas. Mas isso tudo está sendo aposentado. Vai ficar num armário. A partir de agora, é a tecnologia que vai ajudar a Justiça a formar aumentar as famílias adotivas.
O Cadastro Nacional de Adoção interliga todas as Varas de Infância e Juventude do Brasil. Nele estão os dados das famílias pretendentes e os das crianças disponíveis para a adoção. Os interessados não podem ver os perfis. Os dados, atualizados diariamente, são sigilosos e ficam disponíveis apenas para a Justiça.
Hoje, quase 98% das famílias querem crianças com até 10 anos. O novo modelo é uma esperança para as mais velhas, que agora tem o Brasil inteiro na busca por uma nova família.
“Uma criança que esteja apta a ser adotada hoje no estado do Rio Grande do Sul, um adolescente de 14 anos, e não tenha ali nenhum interessado por aquele perfil de adolescente. Tem um interessado no Amazonas. O sistema, automaticamente, vai ter como fazer com que tudo isso converse e o juiz da Infância do Rio Grande do Sul vai ser avisado de que, no Amazonas, tem um interessado com tais características, endereço e tal para que a vara possa entrar em contato com esse interessado para que ele venha a começar o processo de aproximação e de adoção daquele adolescente”, explicou o juiz da Infância e da Juventude Iberê de Castro Dias.
Para quem vai começar o processo, como a fonoaudióloga Thais Inocêncio Pires e o marido, o novo cadastro pode facilitar o encontro do filho que eles estão procurando – um menino de até 4 anos. Nada que diminua a ansiedade dos futuros pais.
“A ansiedade acho que faz parte desse processo, mas, ao mesmo tempo, a gente tem muita tranquilidade. Eu acho que tende a ser um pouco mais rápido. A atualização do cadastro é muito interessante, a nova. Ajudou para eles e vai ajudar para a gente que vai entrar na fila”, disse Thais.
Globo – JN
Compartilhe esta postagem

FOTOS: Detran atualiza e forma vistoriadores veicular na região do Seridó

FOTOS: Detran atualiza e forma vistoriadores veicular na região do Seridó

Fotos: Reprodução
O Departamento Estadual de Trânsito do RN (Detran) conclui nesta quinta-feira (05), o Curso de Capacitação de Vistoriador e Lacrador Veicular com foco nos servidores do Órgão. A qualificação está atendendo os emplacadores e vistoriadores do Detran que são lotados na região do Seridó. As instruções estão ocorrendo na cidade de Caicó.
De acordo com o instrutor da Escola Pública de Trânsito do Detran (Eptran), Felipe Péricles, o curso atende duas situações, servindo como atualização dos procedimentos aos vistoriadores já formados, e de formação de novos profissionais, já que, os após o curso, os emplacadores do Detran passam a atuar também no serviço de vistoria veicular. “A capacitação atende os dois públicos, no caso, teremos a formação de novos profissionais e a atualização da equipe que já atua na área”, explicou.
O Curso de Capacitação de Vistoriador e Lacrador Veicular é vital para a leitura técnica apurada e correta dos códigos veiculares e para percepção de análise de segurança dos automóveis. Com a capacitação, os funcionários da área de vistoria e lacração terão maior capacidade técnica de detectar possíveis irregularidades no veículo, evitando, dessa forma, situações delituosas, a exemplo de clonagem e adulteração veicular em geral.
Outro fator importante no Curso é que o corpo técnico do Detran está sendo atualizado com as informações mais recentes que envolvem o campo da vistoria e lacração veicular, como também a construção de um padrão de atuação técnica envolvendo todas as unidades do Detran no Rio Grande do Norte que atuam nos serviços de vistoria veicular.
O treinamento leva aos participantes a capacidade de reconhecer fraudes ou adulterações nos identificadores veiculares e na documentação do automóvel, aferindo tecnicamente se o objeto vistoriado é idôneo ou procedente de produto de roubo, furto ou adulteração.
A capacitação conta com uma carga horária de 20h/aula compreendendo as disciplinas de “Identificação Veicular”; “Noções Básicas de Adulteração e Perícia”; “Legislação de Trânsito”; e “Estágio Supervisionado”. O Curso segue em conformidade com as diretrizes determinadas pelo Código de Trânsito Brasileiro (CTB) e com as resoluções do Conselho Nacional de Trânsito (Contran) que tratam sobre o tema.
O curso já foi concluído no polo Natal, onde a Eptran formou e aperfeiçoou 67 servidores. O treinamento vai atender todas as regiões do Rio Grande do Norte.
Compartilhe esta postagem

Liverpool confirma força máxima para disputar Mundial de Clubes

Liverpool confirma força máxima para disputar Mundial de Clubes
Foto: Carl Recine/REUTERS

O Liverpool anunciou na manhã desta quinta-feira (5) os atletas inscritos para o Mundial da Fifa, no Qatar. Como o treinador Jurggen Klopp já havia adiantado, o time vai com suas principais estrelas para competição.
O provável time que vai enfrentar o Flamengo na final da competição vai ter Alisson, escolhido melhor goleiro do mundo na temporada 2018/19, o atacante egípcio Salah, o brasileiro Roberto Firmino, o senegalês Sadio Mané, e o melhor zagueiro do planeta, o holandês Van Djik.
Confira a lista completa:
Goleiros: Alisson, Adrán e Lonergan
Defensores: Alexander-Arnold, Van Dijk, Lovren, Joe Gomez, Robertson e Williams
Meio-campistas: Wijnaldum, Milner, Keita, Henderson, Oxlade-Chamberlain, Lallana, Shaqiri, Jones e Elliott
Atacantes: Firmino, Mané, Salah, Brewster e Origi

Esta será a quarta vez que o Liverpool disputa o campeonato Brasil e nunca foi campeão. Times brasileiros são indigestos aos ingleses. Em 1981, perdeu para o Flamengo; em 2005, a derrota foi para o São Paulo. Só 1984, que os Reds perderam para os argentinos do Independiente.
R7

Compartilhe esta postagem

Nomes de bebês 2020: veja os mais usados em 2019 com Miguel e Helena no topo; compostos caíram posições

Nomes de bebês 2020: veja os mais usados em 2019 com Miguel e Helena no topo; compostos caíram posições
Imagem: cokada/iStock
As famílias brasileiras seguem usando a simplicidade como critério para escolher o nome dos bebês. O BabyCenter, plataforma que traz informações sobre gravidez e filhos, divulgou o ranking dos que mais bombaram neste ano, e “Miguel” continua no topo dos mais escolhidos — na verdade, desde 2011 — ao lado de “Helena”, que tirou o primeiro lugar do nome “Alice”.
As informações, segundo o portal, foram coletadas com base nos dados de 480 mil bebês nascidos e cadastrados neste ano na plataforma. Curiosamente, em 2019, dois sertanejos se tornaram pais de crianças com os nomes que estão “no hype”. Henrique, da dupla Henrique e Juliano, se tornou pai de Helena e Felipe Araújo virou pai de Miguel (foto).
Ranking de nomes de bebês
Atrás de Helena, vêm Alice, Laura, Manuela e Isabella. Já depois de Miguel, estão Arthur, Heitor, Bernardo e Théo. Há outros nomes de bebês que estão “em alta”, segundo a pesquisa: Gael, Valentim, Liz — que é o nome da filha da sertaneja Thaeme Mariôto — e Aurora.
Nomes compostos caíram posições
O ranking demonstra que João Miguel, que estava entre os nomes compostos mais usados, caiu para 25º lugar do ranking. Já uma variação de Maria, com o segundo nome Luísa, aparece na lista geral em 15ª lugar; em 2010, Maria Eduarda estava em quarto nome mais usados para bebês.
Universa – UOL
Compartilhe esta postagem

Cidades atendidas pela adutora Médio Oeste iniciam parada programada de abastecimento, informa Caern

Cidades atendidas pela adutora Médio Oeste iniciam parada programada de abastecimento, informa Caern
FOTO: CAERN/ASSECOM
As cidades de Triunfo Potiguar, Paraú, Campo Grande, Janduís, Messias Targino e Patu iniciaram parada programada de abastecimento, a partir das 6 horas da manhã, desta quinta-feira (5). A Companhia de Águas e Esgotos do Rio Grande do Norte (Caern) irá levar o conjunto motobomba para uma área mais profunda dentro da barragem Armando Ribeiro Gonçalves.
A previsão é que o sistema seja religado no final da tarde de sábado (7) para as cidades de Patu e Messias Targino, por onde recomeçará o sistema de rodízio, após 48 horas de abastecimento destas duas cidades, a água será enviada para a cidades de Campo Grande e Janduís.
As cidades de Triunfo Potiguar e Paraú não estão no sistema de rodízio porque estão próximas da captação da adutora Médio Oeste, que é dentro da barragem Armando Ribeiro Gonçalves, no município de Jucurutu. Devido à redução de água acumulada na barragem, o local aonde o conjunto motobomba da Médio Oeste está atualmente trabalhando ficou raso. O conjunto mobomba que retira água dentro da barragem fica em cima de boias de flutuação para que possa impulsionar a água até a Estação Elevatória de Água.
Compartilhe esta postagem

“Ninguém passa por moedor de carne”, diz Moro, sobre perfil genético de condenados por crimes hediondos ou violentos

“Ninguém passa por moedor de carne”, diz Moro, sobre perfil genético de condenados por crimes hediondos ou violentos
Foto: Carolina Antunes/PR

O ministro Sergio Moro disse nesta quinta-feira (5) que a coleta de material genético de condenados por crimes hediondos ou violentos é simples, e usa-se apenas um cotonete para extrair a saliva. “É uma impressão digital moderna”.
A fala aconteceu porque há críticas à coleta compulsória de material genético, apesar de ser legal.
Moro falou durante a apresentação do resultado do esforço do governo federal e dos governos estaduais na coleta de perfis genéticos de criminosos para inserção no Banco Nacional de Perfis Genéticos (BNPG). O ministro explicou como funciona o banco:
— A polícia ao realizar uma investigação preserva o local do crime e colhe vestígios. Dentre eles pode colher material biológico: fio de cabelo, gota de sangue, eventualmente esperma. Desse vestígio material é extraído o perfil genético e inserido num banco de dados.
Além dos vestígios, o ministério da Segurança Pública está inserindo perfis genéticos no banco. No início do ano eram 7 mil e agora são 67 mil. A meta é ter o perfil de todos os condenados por crimes hediondos ou violentos até o fim do governo Bolsonaro.
— Concomitamente, a nossa legislação prevê, as pessoas condenadas por crimes hediondos ou violentos têm o seu perfil genético extraído. Como funciona? Ninguém vai para um moedor de carne. Passa apenas um cotonete na boca, e com as células da saliva é extraído um perfil genético, um DNA, que é uma moderna impressão digital. Isso é incluído no banco nacional de perfis genéticos, uma rede integrada com os vários Estados. Colocando os dados dos vestígios e dos condenados há boa chance de resolução de crimes quando há um “match” entre os dados dos vestígios dos crimes e dos condenados.
O fortalecimento da Rede Integrada de Bancos de Perfis Genéticos é um dos projetos estratégicos do Ministério da Justiça e Segurança. O objetivo é aumentar a taxa de resolução de crimes, especialmente os violentos ou sexuais, e reduzir a possibilidade de se condenar inocentes.
R7
Compartilhe esta postagem

Compartilhe esta postagem

JUCURUTU FESTAS: O MAIOR NATAL SOLIDÁRIO DA HISTÓRIA DE JUCURUTU


Dia 21 de Dezembro tem a volta de Pedrinho Pegação a Jucurutu/RN no Pegação Privilege, o maior Natal solidário da história. E ainda tem mais 3 atrações: Hugo e Heitor, DJ Kevin e Kevi Pizeiro. Vendas e trocas de alimentos em breve no Supermercado Floraci!!
Compartilhe esta postagem

Bolsonaro diz que não existe qualquer intenção em privatizar Banco do Brasil ou Caixa Econômica: “Zero”

Bolsonaro diz que não existe qualquer intenção em privatizar Banco do Brasil ou Caixa Econômica: “Zero”
Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil
O presidente Jair Bolsonaro negou nesta quarta-feira (4) a intenção de privatizar o Banco do Brasil (BB) e a Caixa Econômica Federal. A declaração foi dada em resposta à uma reportagem publicada ontem (3) pelo jornal O Globo. Segundo o jornal, a equipe do ministro Paulo Guedes (Economia) estaria fazendo estudos para abrir mão do controle do BB.
“Olha só, eu vi na capa, foi no Globo de ontem, que […] diz que pessoal começa a estudar privatização do Banco do Brasil. Servidor de terceiro escalão fala aquilo, eu não tenho nada a ver com isso. Eu não tenho como controlar centenas de milhares de servidores no Brasil. Da minha parte, não existe qualquer intenção de pensar em privatizar Banco do Brasil ou Caixa Econômica. Zero”, afirmou a jornalistas pela manhã, na entrada do Palácio do Alvorada, residência oficial.
Sobretaxa do aço
Bolsonaro demonstrou confiança de que o governo conseguirá reverter a decisão do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, de voltar a sobretaxar as exportações de aço e alumínio do Brasil. O líder norte-americano anunciou a medida em sua conta no Twitter, na última segunda-feira (2).
“Você pode ver, nós importamos etanol deles, eles querem agora, está bastante avançado, mandar trigo pra gente. Agora, somos pobres na história, eu não sei quantas vezes a economia deles é maior do que a nossa, várias vezes, nós estamos com estilingue, os caras estão com uma metralhadora .50. Vejo com um certo exagero o que está acontecendo. Por enquanto, não foi sobretaxado nada, só tem a promessa dele no Twitter”, afirmou.
Bolsonaro voltou a negar qualquer medida artificial do governo para desvalorizar o real frente ao dólar. Esse é o principal argumento de Trump para reativar as sobretaxas, já que, segundo ele, a desvalorização do real estaria prejudicando as exportações de agricultores norte-americanos.
“O mundo está globalizado, a própria briga comercial EUA e China influencia o preço do dólar aqui. Várias vezes o Roberto Campos interferiu vendendo dólares. Não estamos aumentando artificialmente o preço do dólar. E outra coisa, se nós produzirmos menos aço aqui, menos alumínio, que seria natural com a sobretaxa, a energia para fazer isso aí, parte vem dos EUA, poderia ter desemprego na outra ponta”, afirmou.
O presidente brasileiro negou ainda ter ficado decepcionado com o líder norte-americano, com quem mantém boas relações desde o início do governo. “Não tem decepção porque não bateu o martelo ainda. Não é porque um amigo meu falou grosso numa situação qualquer que eu já vou dar as costas pra ele”.
Agência Brasil
Compartilhe esta postagem

Produção industrial sobe pelo terceiro mês seguido: alta de 0,8% em outubro

Produção industrial sobe pelo terceiro mês seguido: alta de 0,8% em outubro

Foto: Christiano Diehl Neto / Agência O Globo

A produção industrial subiu 0,8% em outubro , na comparação com setembro deste ano, de acordo com a Pesquisa Mensal da Indústria ( PMI ), divulgada nesta quarta-feira pelo IBGE . Em relação ao mesmo período do ano passado, o avanço foi de 1,0%. Essa foi a terceira alta mensal seguida registada pelo indicador que mede o desempenho econômico do setor.
Economistas ouvidos pela Bloomberg estimavam um avanço de 0,9% entre setembro e outubro, e de uma variação de 1,4% em relação ao mesmo período do ano passado.
No acumulado do ano, a indústria registra um recuo de 1,1%, influenciada pela queda na indústria extrativista de 9,5%, com impactos do acidente de Brumadinho. Essa performance faz com que o resultado acumulado de janeiro a outubro seja 2,2% no indicador de bens intermediários. O acumulado nos últimos doze meses é de -1,3%.
Segundo o IBGE, 14 dos 26 ramos pesquisados mostraram avanço na produção, ante 11 em setembro. As principais atividades que puxam o avanço são produtos alimentícios, com alta de 12,3% em relação a outubro de 2018; máquinas e aparelhos elétricos (6,9%); produtos farmacêuticos (5,0%); produtos de metal (4,9%); eletrônicos (4,0%); bebidas (3,6%); veículos (3,5%); e produtos derivados do petróleo e biocombustíveis (3,2%). Bens de consumo registram um crescimento de 4,1% e é o principal fator para o resultado positivo.
Para André Macedo, coordenador de indústria IBGE, esse resultado rompe o comportamento de instabilidade dos últimos dois anos, com mais alternância de taxas e demonstra um avanço da indústria.
– A inflação mais comportada, a taxa de juros mais baixas, aumento da massa de rendimentos e maior acesso ao crédito ajudam esse resultado. Observamos também uma melhora, mesmo que gradual, do mercado de trabalho que impacta positivamente o resultado da indústria. A liberação do FGTS e eventos comerciais como Black Friday e final de ano também contribuem.
Na terça-feira, o IBGE informou o que o PIB brasileiro avançou 0,6% no terceiro trimestre de 2019, na comparação com o encerrado em junho, com crescimento de 0,8% do setor industrial.
O comportamento da indústria é um dos principais termômetros para avaliar o desempenho do PIB. Com o resultado deste mês, a questão é se o PIB conseguirá um ritmo de aceleração até o fim do ano.
Desde a divulgação do resultado econômico na terça, analistas estão revisando as projeções para 2019 e 2020.
Os economistas das instituições financeiras projetam um cenário de estagnação para a produção industrial no ano, de baixa de 0,7%, segundo pesquisa Focus do Banco Central. Para o resultado do PIB de 2019 do Brasil, a previsão é de uma alta de 0,99%.
O Globo
Compartilhe esta postagem

Uma das vias mais movimentadas de Natal, Mário Negócio ganha faixa semi-exclusiva de ônibus no trecho entre a (AV. 5) até a Av. Felizardo Moura a partir de segunda

Uma das vias mais movimentadas de Natal, Mário Negócio ganha faixa semi-exclusiva de ônibus no trecho entre a (AV. 5) até a Av. Felizardo Moura a partir de segunda
Foto: Reprodução

A partir de segunda-feira (09/12), a Rua Dr. Mário Negócio ganhará uma faixa semi-exclusiva de ônibus no trecho entre a Rua Presidente Leão Veloso (Av. 5) até a Av. Felizardo Moura, a qual funcionará nos horários das 16h às 20h de segunda a sexta-feira. A informação é da Prefeitura do Natal, por meio da Secretaria de Mobilidade Urbana (STTU).
De acordo com o órgão, a Rua Dr. Mário Negócio recebe mais de 15 mil veículos por dia e a faixa semi-exclusiva vai beneficiar os usuários das 14 linhas de ônibus que circulam na região, às quais perdem cerca de 40 minutos na travessia nesse trecho no horário de pico. “Fora do horário de pico, os ônibus levam em torno de dez minutos. Ou seja, o tempo mais que dobra entre as 16h e 20h”, informa Clodoaldo Cabral, secretário adjunto de Transporte.
A implantação da nova faixa semi-exclusiva foi possível devido à redistribuição dos espaços entre as faixas, o que permitiu a adição de uma quarta faixa na Rua Dr. Mário Negócio. “Identificamos que as faixas eram largas o suficiente para que, sendo redimensionadas, acrescentar mais uma faixa ao sentido Viaduto da Urbana e otimizar a utilização do espaço viário. Com isso, o total de faixas passou de duas para três no sentido Urbana e ainda permanecerá com o contrafluxo para ônibus no sentido Alecrim”, ressalta Walter Pedro da Silva, secretário adjunto de Trânsito.
A faixa semi-exclusiva da Rua Dr. Mário Negócio funcionará das 16h às 20h de segunda a sexta-feira. Durante o período, é proibida a circulação dos demais veículos, exceto para acesso a lotes lindeiros e as ruas transversais, assim como o estacionamento. Nos demais horários, o uso é livre, inclusive para estacionamento. Em caso de dúvidas, os usuários e motoristas podem ligar para o Alô STTU – no telefone 156 – ou perguntar pelo Twitter oficial, o @156Natal.
Via BG
Compartilhe esta postagem

‘Com Moro de vice, Bolsonaro ganha no primeiro turno’, diz ministro-chefe da Secretaria de Governo, general Luiz Eduardo Ramos

‘Com Moro de vice, Bolsonaro ganha no primeiro turno’, diz ministro-chefe da Secretaria de Governo, general Luiz Eduardo Ramos
Foto: Adriano Machado / Reuters
Articulador político do Palácio do Planalto, o ministro-chefe da Secretaria de Governo, Luiz Eduardo Ramos, avaliou que uma dobradinha entre o presidente Jair Bolsonaro e o ministro da Justiça, Sérgio Moro, seria imbatível na disputa de 2022. “Eu falei para o presidente que, se hoje ele fosse tentar a reeleição, com Moro de vice, ganhava no primeiro turno, disparado”, afirmou Ramos ao Estado, sem mencionar o atual vice, Hamilton Mourão.
O general disse, porém, que Bolsonaro não enxerga essa possibilidade. “Ele não vê nada disso.” Ex-juiz da Lava Jato, Moro enfrenta resistências para emplacar o pacote anticrime no Congresso e é alvo de questionamentos, mas ainda mantém a popularidade e foi aplaudido de pé, anteontem, em show do cantor Roberto Carlos, em Curitiba.
O governo prepara uma reforma ministerial?
O presidente ficou um pouco contrariado com notícias que saíram sobre isso. Ele brincou comigo: “Ramos, eu vi logo que era fake news porque seu nome não estava lá (entre as possíveis mudanças)”.
Mas, nos últimos dias, muitos pediram, por exemplo, a cabeça do ministro da Educação, Abraham Weintraub.
Quando acontece isso, aí é que ele não tira. Se o presidente tiver interesse em mudar, (será) no ano que vem… Agora é chance zero de isso ocorrer.
O “ano que vem” já está aí…
Eu digo março, abril.
Mas o ministro Weintraub não exagera nas redes sociais?
Sim, mas… Até o general Fernando (Fernando Azevedo, ministro da Defesa) ficou chateado com aquela postagem do Dia da República, que ele botou o Deodoro da Fonseca ao lado do presidente Lula (no Twitter, Weintraub chamou a Proclamação da República de “o primeiro golpe de Estado no Brasil”). Agora, ele tem de responder pelo que fala. Eu não posso falar nada. Tenho 72 mil seguidores, mas não ligo para esse bichinho aqui (aponta para o celular). Você tem de tomar cuidado com o que escreve e posta, porque pode cometer um erro grosseiro, ofender pessoas.
Essa situação preocupa?
Esquece o Weintraub. Estamos vivendo, graças a Deus (bate na mesa três vezes), um momento feliz, de muita serenidade nas mídias sociais.
Sem o vereador Carlos Bolsonaro (PSC-RJ) nas redes…
Vocês é que falaram, não fui eu. Não estou dizendo que o Carlos está fora, nada disso.
É uma coincidência?
Eu não sei.
O governo adiou o envio da proposta de reforma administrativa ao Congresso por medo de protestos de rua?
Não. O Paulo Guedes (ministro da Economia) ficou chateado, mas o presidente achou que este projeto agora ia dar ruído. Havia coisas que iam bater no Judiciário e ficaram algumas pontas soltas. A reforma será apresentada com melhoramentos.
Por que o pacote anticrime do ministro da Justiça, Sérgio Moro, não avançou no Congresso?
Eu acho que não correspondeu ao clamor da sociedade. Mas o ministro Moro tem razão. Eu, por exemplo, tive um sobrinho de 31 anos assassinado numa saidinha de banco, no Rio. Agora teve um sargento assassinado porque o bandido queria o celular.
O ministro Moro poderá ser vice numa chapa liderada pelo presidente Bolsonaro, em 2022?
Eu falei para o presidente que, se hoje ele fosse tentar a reeleição, com Moro de vice, ganhava no primeiro turno, disparado. Mas o presidente não vê isso como uma possibilidade. Mas não vê porque não vê nada disso (risos). Seria importante ele ter, sim, um novo mandato para arrumar a casa. Sinceramente, em quatro anos não dá para consertar tudo.
O ex-presidente Lula ainda pode ser o principal adversário de Bolsonaro, caso volte a ficar elegível?
Ué, mas ele não foi condenado de novo? Pergunta difícil, mas eu acho que não. Lula saiu com muito ódio (da prisão). Passou do ponto.
O que o sr. acha de propostas que tramitam no Congresso para retomar a prisão após condenação em segunda instância?
Sou da opinião do ministro Moro: é necessário retomar a segunda instância para a segurança pública e a jurídica. Temos o sentimento de impunidade pela quantidade de recursos que existem. Esquece o presidente Lula. Vamos falar de traficantes, assassinos… Olha o tanto de gente que foi solta.
O Supremo Tribunal errou?
Não. Só que tomou uma decisão, em 2018, de manter a segunda instância e, um ano depois, mudou. Quem é que mudou o voto ali? Rosa Weber. O que houve? Pressão? Não sei.
O presidente corre o risco de não conseguir aprovar no Tribunal Superior Eleitoral a Aliança pelo Brasil a tempo de o novo partido disputar as eleições municipais. Isso não pode prejudicar o projeto de reeleição?
É muito cedo para traçar qualquer quadro. O partido pode não concorrer (em 2020), mas isso não quer dizer que o presidente não possa ter candidato na eleição nem que esse nome não possa mudar para a Aliança depois. Não façam uma leitura equivocada de um craque na política. Prefeito pode mudar de partido.
E quem ele vai apoiar em São Paulo?
Só acho que não vai apoiar a Joice Hasselmann (deputada do PSL e ex-líder do governo no Congresso), pelo que houve. É dedução minha, porque em política acontece muita coisa.
Em recente reunião, deputados do Centrão ameaçaram travar votações, caso o governo não pagasse emendas nem liberasse cargos. Como resolver isso?
Já resolvemos, graças a Deus. Confesso que, no dia dessa reunião, havia um déficit e não sabíamos como resolver. Diziam assim: “O senhor não pode ir lá. Vai enfrentar os leões do Centrão?”. Eu respondi: “Qual é o problema? Participei de negociação no Haiti, Copa, Olimpíada, pancadaria. Ninguém vai bater em mim”. Logo depois, o presidente determinou que o Paulo Guedes desse uma solução, com R$ 2 bilhões para a Câmara e R$ 400 milhões para o Senado. Até o fim do mês, cada parlamentar receberá os seus R$ 20 milhões em emendas para sua base eleitoral.
E isso não é toma lá, dá cá?
Espera aí. No início do governo foi dito que, para esse ano, teríamos a reforma da Previdência e outras pautas. Então, houve esse acordo. O deputado do Paraná, por exemplo, foi eleito por causa de municípios, que exigem dele recursos para hospitais, colégios, etc. Se no passado isso permitia desvio, é outra coisa. Nós exigimos projeto. Agora, só vão votar se der o dinheiro? Eu acho que não. Na MP 890 (que instituiu o programa Médicos pelo Brasil) houve mesmo um pouco de pressão. Faz parte. A democracia é assim.
Mas há fogo amigo na relação entre o sr. e o ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, por causa da articulação política.
Não existe fogo amigo entre mim e Onyx. Esquece. Eu gosto muito do Onyx e estou dando continuidade ao excepcional trabalho realizado por ele. Peguei um trem em movimento. Não sei quem é que faz a intriga, mas o meu setor não é.
O governo vai agora apoiar a abertura de cassinos no País?
O presidente disse que tem de debater a ideia com a sociedade, com os evangélicos. Uma coisa é abrir um cassino em Brasília, que não faz sentido. Outra é na Amazônia, em uma área que precisa se desenvolver, como foi feito em Atlantic City ou Las Vegas (EUA). Mas é preciso ver os efeitos colaterais, as possíveis associações com drogas, contravenções.
Estadão
Compartilhe esta postagem